Entenda como funciona a coloração das cervejas


Entenda como funciona a coloração das cervejas

É verdade que comemos com os olhos, e quando falamos em cervejas, bebemos com os olhos também! A visão exerce grande influência sobre o paladar, e é por isso que o mercado cervejeiro vem investindo cada vez na coloração da cerveja.

Além da coloração e da aparência em geral, existem outros fatores que devem ser observados na degustação de uma cerveja, como o paladar, o aroma, o tato (percebido na boca) e a drinkability. Esses aspectos são influenciados pelo teor alcoólico, pelo malte e pelo lúpulo presente em cada receita.

Hoje, vamos nos aprofundar no estudo da cor dessa querida bebida. Pegue o seu copo e venha com a gente!

De onde vem a coloração da cerveja

A cor é definida principalmente pela mistura de ingredientes de cada cerveja, pelo tipo de malte e o seu grau de torreifação — o que não interfere apenas na cor, mas também no sabor. Esse equilíbrio é, inclusive, uma parte muito difícil do processo de produção das cervejas artesanais e requer bastante conhecimento e experiência. 

Dica: 4 diferenças entre cervejas artesanais e industrializadas

Apesar de esses serem os fatores que mais influenciam na cor da cerveja, muitos outros também são responsáveis pela bebida mais clara ou mais escura, como o fermento utilizado, a utilização de frutas e ingredientes inusitados, a fervura, o resfriamento, a caramelização, a clarificação e até mesmo o uso de corantes naturais — que são permitidos pela legislação brasileira.

É uma química realmente impressionante e que resulta em uma infinidade de cores, como o amarelo palha e translúcido, os tons dourados, o famoso âmbar da Pale Ale e o preto fosco.

As escalas de cores

Existem duas escalas que são utilizadas para medir a cor da bebida: uma europeia, chamada European Brewing Convention (EBC), e uma americana (SRM), a Standard Reference Method. Vamos entendê-las melhor a seguir:

European Brewing Convention (EBC)

A EBC classifica como cerveja clara a cor com menos de 20 unidades EBC, e como cerveja escura a bebida com 20 ou mais unidades EBC. Essa escala pode ser aplicada à cerveja ou ao malte, e é a utilizada pela legislação brasileira.

Clique no banner abaixo e confira todos produtos da Cervejaria Leopoldina!

Adquira a sua Leopoldina sem sair de casa

Standard Reference Method (SRM)

A SRM, por sua vez, baseia-se na espectrofotometria. Esse é um nome complicado para definir um processo que mede a absorção de luz em comprimentos de ondas. Os valores da SRM equivalem a 40% da EBC, ou seja, 4 unidades SRM equivalem a 10 unidades EBC.

No entanto, mesmo com essas escalas, o que é obtido, na maioria das vezes, é apenas uma estimativa da coloração com base no volume de mosto (a mistura açucarada destinada à fermentação alcoólica), na quantidade e na composição do malte.

Dica: Entenda porque a cerveja puro malte faz sucesso entre os apreciadores

Sim, é uma conta complexa que pode deixar qualquer um confuso! É por esse motivo que os mestres cervejeiros modernos utilizam calculadoras para calcular as unidades de cor do malte e softwares cervejeiros para calcular a coloração da cerveja.

Como você pode ver, existe muito trabalho (e verdadeiras contas matemáticas) para alcançar a o tom certo para a cerveja perfeita. E tudo isso faz a degustação da sua bebida preferida ser ainda mais especial, não é verdade?

Agora que você entendeu como é criada a coloração da cerveja, conte pra gente aqui nos comentários qual é a cor da cerveja que você mais aprecia!



Assine nosso blog

Não perca nenhuma novidade!

Assine nosso blog

Não perca nenhuma novidade!