Maturação de cervejas em barris de madeira


Maturação de cervejas em barris de madeira

Hoje em dia, a técnica de envelhecimento em barricas tem sido amplamente utilizada na elaboração de cervejas artesanais ao redor do mundo. Vale salientar que barricas novas não são ideais para a maturação de cervejas e a grande maioria delas já eram utilizadas anteriormente em outras maturações. Na Cervejaria Leopoldina, todas as barricas utilizadas são antigas, o que acrescentam grande complexidade ao sabor e aroma das nossas cervejas.

A expansão das cervejarias artesanais no mercado brasileiro trouxe também uma inovação muito interessante: a utilização de uma variedade maior de madeiras nativas brasileiras no processo de maturação.

  

As madeiras mais utilizadas

Diferentes espécies conferem experiências sensoriais distintas e bem peculiares, agregando uma experimentação cervejeira diferenciada.

O carvalho francês é considerado complexo e elegante e apresenta taninos suaves. Aromático, pode remeter à canela, caramelo ou chocolate. Das espécies mais conhecidas, existem os com adstringência moderada (devido à presença dos taninos da madeira), e outros mais suaves, com baixa quantidade de taninos (proporcionando um sabor aveludado com notas de baunilha e especiarias doces).

A Amburana é perfumada, possui notas de baunilha e canela, com aromas florais e amadeirados, ela costuma ser usada em blends com madeira de carvalho. Já o Bálsamo traz muita especiaria, como notas de cravo, além de ser frutado e tânico. Por outro lado, a Castanheira entrega aromas associados à junção do tostado com baunilha, chocolate e caramelo. Por fim, o Ipê revela sabores relacionados a nozes e castanhas, diminuindo a intensidade tânica e aumentando o dulçor.

 

Cervejas Leopoldina maturadas em barris de madeiras

Para fechar este conteúdo com chave de ouro, destacamos nossas cervejas especiais para você apreciar o que o envelhecimento em madeira tem de melhor:

 

- Leopoldina Old Strong Ale

Uma cerveja escura, com 10 meses de maturação em barricas de carvalho francês (que antes eram utilizadas para maturar o famoso vinho licoroso da Casa Valduga, por 10 anos). A segunda fermentação ocorre dentro da própria garrafa. De extrema complexidade, possui notas de frutas secas e nozes, alicerçadas pelas notas de mel e vinho do porto. Por estar acondicionada em uma garrafa de espumante, seu sabor único e equilibrado é mantido em perfeita harmonia, preservando toda sua originalidade. Elaborada para paladares mais apurados, ela harmoniza perfeitamente com carnes de caça, massas condimentadas e queijos duros de sabor intenso. Assim como os grandes vinhos, este rótulo só melhora com o tempo!

 

- Leopoldina Russian Imperial Stout

Com camadas aromáticas distintas que criam um perfeito equilíbrio entre o amargor do lúpulo e o dulçor do malte, a Leopoldina Russian Imperial Stout mostra-se densa e aveludada no paladar, com notas frutadas que abrem caminho para aromas adocicados de toffee, caramelo e chocolate, arrematados por uma firme nuance de café. Para esta cerveja, as barricas foram anteriormente utilizadas três vezes em vinhos da Casa Valduga. O caráter intenso da Russian Imperial Stout acompanha perfeitamente doces como brownie e petit gateau.

- Leopoldina Belgian Tripel

De coloração dourada intensa e adquirida com o passar de 45 dias em barricas de carvalho francês, a Leopoldina Belgian Tripel destaca-se pelos nuances de frutas secas e especiarias provenientes da maceração com sementes de coentro e cascas de laranja do céu. Com amargor equilibrado e final de boca limpo, ela demonstra elegante complexibilidade em uma experiência cervejeira única.

 

Gostou de entender um pouco mais sobre o processo de maturação de cervejas em barris de madeira? Para continuar por dentro de outras novidades e curiosidades sobre a cultura cervejeira, não deixe de seguir nosso perfil no Instagram.



Assine nosso blog

Não perca nenhuma novidade!

Assine nosso blog

Não perca nenhuma novidade!