Cerveja com ou sem espuma?


Cerveja com ou sem espuma?
Ao consumir cerveja, muitas pessoas preferem servi-la sem a espuma, – o famoso colarinho – porém, qual é a maneira correta de consumir a bebida? O colarinho faz alguma diferença na hora de degustar? Para te ajudar a entender qual é o papel da espuma na cerveja, preparamos algumas curiosidades sobre o assunto. Vem com a gente! No Brasil, já é uma questão cultural pedir a cerveja sem a espuma, devido à falsa ideia de que, sem ela, as pessoas ganharão mais líquido, porém, ela é parte essencial da degustação.
 

Benefícios da espuma

Antes de qualquer coisa, você precisa saber que a espuma é um processo natural da cerveja e ele ocorre a partir de uma reação química entre o dióxido de carbono (CO2) e as proteínas presentes no lúpulo. Mas, o que isso quer dizer?
Diferente do que muitos pensam, a aparição da espuma é, sim, muito importante para a saúde da bebida. Para que ela seja uma boa espuma e influencie positivamente em variados aspectos, ela deve ter bolhas pequenas, uniformes, e não sumir rapidamente.
Um dos principais fatores, é que ela evita a oxidação da bebida, impedindo que ela fique com gosto desagradável, além de identificar se uma cerveja recém-aberta sofreu algum tipo de contaminação, carbonatação ou está fora do prazo de validade.
Além disso, é ela quem impede que o líquido não entre em contato com o oxigênio, mantendo-a mais gelada por mais tempo.
Outro fator interessante, é que ela aumenta a qualidade da degustação, pois é responsável por evidenciar os sabores e aromas da cerveja, construindo o seu gosto, afinal, é a partir da espuma que acontece o primeiro contato com o aroma da bebida.
 

Qual é a quantidade ideal de espuma?

A quantidade de espuma pode variar de acordo com cada estilo, o ideal é que haja entre 1 e 3 dedos de espuma (em média 3 centímetros), mas isso não é uma regra.
Existem Escolas Cervejeiras que costumam apresentar menos espuma na composição de suas cervejas, como por exemplo, a Escola Inglesa. Em contraponto, as Escolas Belga e Alemã preferem um colarinho abundante.
Escolher o copo ideal também é de extrema importância para preservar a espuma. Copos com bocas mais estreitas, como os estilos “Lager” e “Tulipa”, auxiliam na formação do colarinho, fazendo com que você deguste os seus estilos favoritos com os sabores e aromas evidenciados.
Apesar disso, o contrário também pode acontecer. Assim como existem copos que formam uma espuma generosa, outros não têm o mesmo potencial, é o caso do copo “Pint”, por exemplo. Além disso, copos mal lavados ou com resquícios de detergente também são propícios a formar menos espuma.
A maneira como a bebida é servida também interfere na formação. Quando a garrafa e o copo estão distantes, o impacto da cerveja no copo é maior, fazendo com que o colarinho seja maior.
 

A espuma é parte da experiência!

Na próxima vez que for servir a sua cerveja preferida, lembre-se que a espuma é essencial para que a sua degustação seja completa, além de atestar a qualidade da bebida ao longo dos seus processos.
Apesar dos fatores que contribuem para a sua formação, a espuma é essencial para elevar a sua experiência cervejeira, seja com uma cerveja Leopoldina Weissbier, que tem uma generosa formação de espuma, ou com uma cerveja Leopoldina Old Strong Ale, onde o colarinho é mais breve.
Agora que você já sabe o quanto a espuma é importante para a qualidade da bebida, escolha a sua cerveja Leopoldina favorita e viva a melhor experiência cervejeira possível.
Aproveite para compartilhar essas curiosidades com os seus amigos que dizem que o colarinho não faz diferença na degustação!


Assine nosso blog

Não perca nenhuma novidade!

Assine nosso blog

Não perca nenhuma novidade!