A importância da qualidade da água na produção de cerveja


A importância da qualidade da água na produção de cerveja

 

Você já deve ter ouvido falar que a qualidade da cerveja depende muito da água utilizada, já que mais de 90% dela é água. Sim, é bem verdade que antigamente quando não existia água encanada, nas principais regiões produtoras de cerveja na Europa, os locais mais interessantes para se produzir cerveja eram próximos a fontes naturais de água, como nascentes, rios e riachos, além de poços em locais de lençol freático confiável. Boa parte das antigas cidades cervejeiras, inclusive, nasceu em mosteiros próximos a regiões de plantio de cevada e lúpulo, com acesso abundante à água de qualidade.

 

Toda água é igual?

Na verdade, não. A composição química da água varia de acordo com cada região. O próprio solo pode apresentar quantidade maior ou menor de sais minerais. A água da chuva e de nascentes que passam através de várias camadas de solo também podem influenciar na água daquele local. Conforme a quantidade de sais minerais que se ligam àquela água, ela pode ser classificada em quatro tipos: mole, média, dura e super dura. Quanto maior a quantidade de cálcio e magnésio, maior será a dureza da água. Além disso, o pH da água também exerce papel fundamental. Na fabricação da cerveja, um pH aceitável se encontra um pouco abaixo do pH neutro (pH 7), entre 6,0 e 6,5.

 

Então a qualidade da cerveja depende de sua localização próxima a uma boa fonte de água?

Hoje em dia, a localização geográfica de uma cervejaria e o perfil químico da água daquela região não são fatores decisivos para a qualidade do produto final. Isso não significa que a água seja menos importante. Muito pelo contrário, ela é essencial em toda a cadeia produtiva da cerveja. Desde a fabricação, passando pela fermentação, maturação, filtração e higienização, até o engarrafamento. O que acontece é que hoje é possível tratar a água e atingir níveis ideais de adequação e padronização, graças à evolução tecnológica na fabricação das cervejas.

 

O diferencial Leopoldina.

Estabelecida a importância da água como principal ingrediente da cerveja, e diante das características em sua composição química, como atingir excelência na fabricação de cervejas, no que se diz respeito à água?

A Leopoldina conta com uma das poucas máquinas no Brasil que fazem a chamada “osmose reversa”, responsável pelo tratamento da água. E fizemos questão de importá-la da Alemanha! Segundo a Organização Mundial da Saúde, a osmose reversa é um processo que é capaz de reter até 99,98% de microrganismos, toxinas e os mais variados componentes que possam estar presentes na água.

 

Uma vez que cada tipo de cerveja tem suas particularidades em termos de concentração de sais minerais e níveis de pH presentes na sua região de origem, o próximo passo é fazer as adequações necessárias para que aquela água represente as características originais de cada estilo. Por exemplo, a Weissbier recebe uma água que reflete as propriedades da água típica do sul da Alemanha, após todo um levantamento e estudo profundo que fazemos sobre o perfil do solo dessa região. Nós construímos uma água para cada tipo de cerveja. Por isso fazemos cervejas tão fiéis e com qualidade igual aos estilos originais.

 

O resultado disso?

Cervejas consistentemente espetaculares! É outra história.



Assine nosso blog

Não perca nenhuma novidade!

Assine nosso blog

Não perca nenhuma novidade!